Vereadora Júlia Arruda

Blog

Blog

Projeto debate violência sexual contra crianças

A Câmara Municipal de Natal (CMN), através da Frente Parlamentar Municipal em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, presidida pela vereadora Júlia Arruda, promoveu na manhã desta quarta-feira (20), o lançamento do Projeto Escola na Frente. A ideia é levar as discussões que ocorrem mensalmente na CMN até as escolas das redes pública e privada de Natal, envolvendo a comunidade escolar e trazendo as crianças e adolescentes para o protagonismo dos debates.

A primeira edição do projeto aconteceu na Escola Estadual Berilo Wanderley e contou com a participação de representantes do Centros de Referência de Assistência Social (CREAS e CRAS), Conselho Tutelar, Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDECA) Casa Renascer, Projeto Vira Vida, além do corpo pedagógico da escola e das turmas de Ensino Médio, que participaram do debate em torno do 18 de maio.

A data é considerada um marco nacional no combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes e concentra diversas ações que visam conscientizar a sociedade quanto a importância da denúncia. Segundo dados do Disque 100, apenas no ano de 2014 foram registradas 24.575 denúncias de violência sexual contra o público infanto-juvenil no Brasil. Desses casos, 19.165 foram de abuso e 5.410 de exploração sexual infantil.

“No RN, segundo dados da Delegacia Especializada na Defesa de Crianças e Adolescentes, foram 459 casos registrados no ano passado. E sabemos que, apesar de significativo, esse dado ainda está longe de refletir a realidade. Primeiro, porque sabemos que falta investimento no sistema de proteção e, segundo, porque ainda existe a cultura do medo e da vergonha”, destacou a vereadora Júlia Arruda.

E é exatamente com o intuito de mobilizar o poder público e conscientizar a sociedade sobre a importância da denúncia que existe o 18 de Maio. “Iniciativas como essa, do Projeto Escola na Frente, são extremamente importantes, porque nos aproximam dos maiores interessados e razão do nosso trabalho: as crianças e adolescentes”, comentou a conselheira Tutelar da região Sul de Natal, Núbia Rodrigues, que falou aos adolescentes sobre o Disque 100.

Denúncias

Além da prevenção, o combate a esse crime exige que os casos sejam denunciados. No Brasil o Disque 100, criado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, é um serviço de recebimento, encaminhamento e monitoramento de denúncias de violência contra crianças e adolescentes. A central funciona diariamente das 8h às 22h, inclusive nos finais de semana e feriados. As denúncias são anônimas e podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem direta e gratuita para o número 100.

Categorias

Arquivo