Vereadora Júlia Arruda

Blog

Blog

Frente discute adoção de crianças e adolescentes

Dados do Conselho Nacional de Justiça apontam que, no Brasil, mais de 6 mil crianças e adolescentes estão em instituições de acolhimento esperando por uma família. Nesse mesmo cenário, mais de 38 mil pais estão no Cadastro Nacional de Adoção à procura de filhos adotivos. Essa situação foi apresentada na manhã desta quinta-feira (29) em reunião da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, da Câmara Municipal de Natal (CMN).

De acordo com a vereadora Júlia Arruda (PSB), presidente da Frente, a realidade do Rio Grande do Norte é distante do cenário nacional em número, mas com a mesma disparidade de realidade. “De acordo com o último levantamento, temos 255 famílias pretendentes à adoção e 44 disponíveis. São mais pessoas querendo adotar do que crianças sem família”, disse. “Precisamos encontrar uma forma de zerar esse número, pois a adoção não deveria ter critérios, e sim o amor ao próximo”, comentou.

A reunião da Frente, que foi realizada com o tema Adoção: filhos por amor, contou com a participação de representantes das secretarias de Assistência Social (Semtas) e Saúde (SMS); da ONG Acalanto (que apoia famílias no processo de adoção); da Vara da Infância e Juventude e da deputada estadual Cristiane Dantas, que representou a Assembleia Legislativa.  

Em junho deste ano, a Assembleia também abraçou o tema através da campanha Adoção: amor não se escolhe. “Fizemos essa campanha não apenas para estimular a adoção, mas estimular a adoção sem critérios de sexo, cor, idade. Adoção sem preconceito. O maior problema existente hoje são as limitações que os pais impõem para adotar”, afirmou a deputada.

O objetivo da Frente Parlamentar da CMN é conscientizar os futuros adotantes, de modo que eles evitem critérios de escolha quanto a cor, idade, sexo e outras características físicas das crianças e adolescentes. Ser menina, branca e com menos de dois anos de idade são os critérios que ainda predominam as escolhas.


Autora: Carolina Souza/ASSECAM

Categorias

Arquivo