Vereadora Júlia Arruda

Blog

Blog

Desigualdades de gênero na infância

A Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente debateu, na manhã da última quinta-feira (26), a violência e exploração contra meninas. Na reunião, presidida pela vereadora presidente da Frente, Júlia Arruda (PSB), foi lançada a campanha "Quanto custa a violência sexual contra meninas?".

O evento contou com a participação de representantes órgãos e entidades, como o Ministério Público, Plan International, Delegacia da Mulher, Defensoria Pública, Secretaria de Assistência Social do Município (Semtas). De acordo com a promotora do Ministério Público, Érica Canuto, que coordena o Núcleo de Apoio a Mulher Vítima da Violência Doméstica (NAMVID), mais de 90% dos casos de abuso sexual na infância ocorrem com meninas. "Com os instrumentos de mídia, é cada vez mais forte a vulnerabilidade de assédio contra as meninas. Muitas vezes essas meninas nem sabem que é assédio, mas o estereótipo de que a mulher é um objeto já começa na infância", diz a promotora.

Uma pesquisa realizada em estados pólos das cinco regiões do país pela Plan International, organização não-governamental humanitária que desenvolve programas e projetos qualidade de vida das crianças menos favorecidas de países em via de desenvolvimento, apontam que as meninas brasileiras não têm tempo para brinca, nem para estudar porque estão ocupadas com afazeres domésticos. A Plan lançou na reunião a campanha "Quanto custa a violência sexual contra meninas?", convidando para reflexão do quanto é investido para prevenir a violência e abusos na infância e as consequências para a sociedade com a ausência de proteção para meninas e mulheres. "A campanha traz o debate para sensibilizar contra a violência sexual  e trazer a reflexão de como a sociedade transforma a vítima em culpada quando diz que a mulher provoca a violência que sofre", explica a especialista Viviana Santiago.

Para a vereadora Júlia Arruda, a campanha vem contribuir com o trabalho e o debate que a Frente Parlamentar e a Câmara têm pautado. "O estudo apresentado e a campanha que foi lançada aqui endossam a necessidade de se debater e chamar para a reflexão sobre qual ambiente a sociedade tem oferecido às meninas, que oportunidades têm oferecido e que imagem é criada sobre a mulher a partir da infância", diz a vereadora.


Autor:
Cláudio Oliveira
Foto: Marcelo Barroso 

Categorias

Arquivo