Vereadora Júlia Arruda

Blog

Notícias

Frente Parlamentar dá primeiro passo para um plano municipal de ações para crianças e adolescentes

A Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes promoveu, na manhã desta quinta-feira (26), um debate sobre as crianças e adolescentes no contexto familiar e comunitário. Dentro das discussões, foi levantada a necessidade de uma ação estratégica e unificada entre as secretarias municipais para políticas direcionadas aos jovens e crianças. A proposição foi feita pela presidente da frente, a vereadora Júlia Arruda.

“Muitas vezes as crianças têm acesso à educação formal na escola, mas acabam sendo contaminadas pelo meio social carente de serviços e políticas adequadas de assistência social. A importância da integração escola, família e comunidade está ligada também à questão da execução de políticas públicas que beneficiam toda a comunidade”, afirmou a vereadora, que possui desde do seu primeiro mandato um projeto de lei que dispõe sobre articulação entre as áreas de Educação, Assistência Social e Saúde nas escolas do município.  

Em resposta, as representantes da Secretaria de Educação e da Saúde da prefeitura do Natal, Fabíola Andrea de Paula e Edna Galvão, garantiram disposição em reunir técnicos e organizações que atuam na área para que se possa começar a discussão em torno de um plano municipal.

“Não se trabalha hoje nos Ministérios sem a ideia da intersetorialidade nas ações governamentais. Nos colocamos à disposição para a construção de um plano municipal, para que se possa vencer a nossa maior fragilidade que é a falta de recursos. O desafio não é impossível, tudo é uma questão de integração”, declarou Fabíola Andrea, que é coordenadora da Atenção Básica do Adolescente na SMS.

Também colaborou com o tema, o gestor da Instituição Aldeias Infantis SOS Brasil no RN, Francisco de Assis Santiago Júnior. Ele apresentou alguns pontos do Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária, documento que norteia ações federais e prioriza a integração entre família e comunidade no processo educacional.

“Todas as ações para crianças e adolescentes perpassam necessariamente pela manutenção do vínculo familiar, e para se ter uma atuação efetiva nessa área é necessário agir em diversas frentes”, defendeu Francisco, complementando a importância da cidade em se enquadrar nesse conceito: “ O município de Natal ainda não tem uma portaria com base na resolução conjunta, que reuni as instituições competentes, para se enquadrar no Plano Nacional. É necessária a elaboração desse documento”, afirmou.  

Na reunião também estiveram presentes organizações não governamentais, representantes de conselhos tutelares, técnicos das secretarias municipais de saúde e educação, líderes comunitários, estudantes e entidades de proteção a crianças e adolescentes. 

Categorias

Arquivo