Vereadora Júlia Arruda

Blog

Blog

Júlia se pronuncia sobre a Lei Maria da Penha

A cada 15 segundos, uma mulher é vítima de violência no Brasil. Sete em cada dez brasileiras já sofreram algum tipo de violência e o Rio Grande do Norte ocupa a 17ª colocação em crimes de violência contra a mulher, sendo o 7º estado que menos denuncia esses crimes. Esses foram alguns dados apresentados pela vereadora Júlia Arruda, em pronunciamento sobre os nove anos da Lei Maria da Penha - sancionada em 7 de agosto de 2006 -, na abertura dos trabalhos legislativos da Câmara Municipal de Natal, durante a sessão ordinária desta terça-feira (4).

A parlamentar destacou que, apesar de toda a legislação e políticas públicas de proteção já criadas, a cultura do silêncio, do medo e da vergonha ainda é determinante para que tantos casos fiquem na impunidade. “Temos acompanhado com extrema atenção e preocupação o crescimento significativo dos crimes de violência contra mulheres em nosso estado e nossa cidade. Quase que diariamente, somos surpreendidos com novos casos que mancham de sangue e horror as páginas do noticiário policial”, destacou a vereadora Júlia Arruda em seu pronunciamento.

Um levantamento divulgado no início deste ano pelo Ligue 180, serviço prestado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, aponta que em 2014 houve um aumento de 50% nos registros de cárcere privado de mulheres, 18% no número de estupros denunciados e 20% nos casos de violência sexual contra a mulher. “São números que nos dão uma dimensão da realidade da violência de gênero no Brasil, mas que, apesar de alarmantes, estão longe de traduzir a realidade”, ponderou a vereadora.

Júlia é autora do Projeto de Lei que cria a Patrulha Maria da Penha em Natal, com o objetivo de qualificar os serviços de atendimento, apoio e orientação de mulheres em situação de violência. “Essa é uma medida simples, de pura reorganização institucional, mas que certamente irá trazer mudanças profundas no enfrentamento à violência contra a mulher, especificamente aquela cometida no ambiente doméstico”, destacou a vereadora, completando que o momento é de lutar pelo empoderamento das mulheres.

“A luta histórica do movimento feminista pelo fim da violência contra a mulher passa de uma fase de construção de políticas públicas e legislações específicas e entra em um novo momento: nossa batalha agora é pela informação, pela conscientização, pelo empoderamento”, disse a parlamentar, que aproveitou a audiência da TV Câmara para divulgar o Ligue 180, o disque denúncia para situações de violência contra a mulher, que funciona 24 horas por dia todos os dias da semana, inclusive domingos e feriados. A ligação é gratuita e o sigilo é garantido.

Confira o pronunciamento completo:

Categorias

Arquivo